Impactos do rompimento da barragem de Mariana na qualidade da água do rio Doce

  • Carlos Alberto Dias
  • Alexandre Silvio Vieira da Costa
  • Gilvan Ramalho Guedes
  • Glauco Jose de Matos Umbelino
  • Leonardo Gomes de Sousa
  • Janete Higino Alves
  • Thamires Gabriele Macedo Silva

Resumo

O rompimento da Barragem de Fundão, ocorrido em 05/11/2015, lançou no ambiente trinta e cinco milhões de m³ de rejeitos de mineração de ferro, afetando a qualidade da água devido ao volume de sólidos em suspensão. Considerando a importância do cuidado à saúde, este artigo utiliza séries temporais sobre concentrações de metais tóxicos nas águas do Rio Doce nos períodos anterior e posterior ao acidente, identificando as concentrações de metais em função do distanciamento temporal da ocorrência do desastre. Embora tenham sido identificados períodos de maior e menor toxicidade, os resultados apontam para um rápido retorno aos parâmetros de metais dissolvidos na água anteriores ao desastre, os quais já se encontravam acima dos limites legais estabelecidos. Devido aos possíveis agravos à saúde e à necessidade de se garantir a dessedentação sem risco, o monitoramento das concentrações destes metais deve continuar objeto de atenção no processo convencional de tratamento de água.

Publicado
2018-08-14
Como Citar
DIAS, Carlos Alberto et al. Impactos do rompimento da barragem de Mariana na qualidade da água do rio Doce. Revista Espinhaço | UFVJM, [S.l.], p. 21-35, aug. 2018. ISSN 2317-0611. Disponível em: <http://www.revistaespinhaco.com/index.php/journal/article/view/203>. Acesso em: 21 oct. 2018.
Seção
Artigos